segunda-feira, 11 de abril de 2011

Pink Floyd - The Wall o filme

Esse filme fala de mais coisas do que supõe a nossa vã filosofia!! Fala de avanços tecnológicos e retrocessos humanos e sociais. Pobreza, desigualdade, fala de oportunistas e infortúnios pessoais e interpessoais, na tentativa de mostrar por vários ângulos o caos que uma guerra gera e pode gerar. É pura simbologia e psicologia, política, associação de fatos de outrora do pós-guerra, retratado com a luta interna de um órfão inconformado com a perda do seu pai e sucessivos fracassos pessoais e profissionais atribuídos a essa grande perda, e a falta de bom senso daqueles que tinham ele em seus cuidados durante a sua infância. E tudo isso personificou-se em sua alma e mente, de um ponto de vista permanente, de quando era uma criança com ele mesmo, e sucessivamente mais distante de si mesmo ele ecoava, ecoava e recuava, e que conseqüentemente, perpetuou-se e agravou-se com o passar do tempo, pela cobrança da perda da própria infância, que refletia-se assim em seus semblantes de solidão em sua fatídica vida na eterna busca de sentir-se amado e protegido. E por fim, a loucura o a comete, se exterioriza, explode e emana ferindo quem está por perto e quem um dia o apoiou sem conhecer a sua verdadeira e derradeira história e as suas reais condições psicológicas em que ele vivia. E na última cena quando aqueles meninos começam a por um tijolo sobre o outro, para mim dá margem a seguinte pergunta: quantos muros, tipo aquele de Berlim, interiores e exteriores nós somos capazes de construir em nós mesmos e em sociedade e quantos mais serão reerguidos por nossos pútridos políticos que querem nos adestrar, psicologicamente, por: status, atitudes, crédulo e raça?? Por que os martelos simbolizam os soldados? Por que apesar das suas pernas marcharem para a mesma direção as suas cabeças nunca estarão em harmonia com o coletivo, seja dentro ou fora do quartel as diferenças e os motivos de todos estarem ali divergem, mas camuflam-se quando perguntam, para eles o porque de tanta carnificina e vidas tiradas pelas próprias mãos de cada um deles?? Uns simplesmente respondem que estavam cumprindo com suas atribuições, obrigação. As máscaras de porco, expressão a lei de: talião (do latim lex talionis: lex: lei e talis: tal, aparelho que reflete tudo), também dita pena de talião, consiste na rigorosa reciprocidade do crime e da pena — apropriadamente chamada retaliação. Esta lei é frequentemente expressa pela máxima olho por olho, dente por dente. É uma das mais antigas leis existentes. Observação o governos ditatoriais. A ditadura usava dessa lei arcaica e de sgnificado dertupado a respeito do real sgnificado de reciprocidade, de forma abusiva e hipócrita para manter as pessoas em servidão; as máscaras de porco remetem justamente a isso, ninguém fora do poder militar tinha autonomia e direito, se um caísse na lama todos os outros iam ou caiam juntos, toda face era face, toda vida era vida sintetizando a banalização do ser pelo ser . Para mim, o filme Pink Floyd- The Wall é o primeiro filme épico do gênero drama e revolucionário por sua ótica e áudio em constante sintonia do inicio ao fim. As cenas ilustram toda a temática abordada nas letras do Pink Floyd.


Flávio Roberto Sobral Delgado
Exemplo: Another Brick In The Wall / Outro Tijolo Na Parede (tradução) pt.1 O papai voou pelo oceano Deixando apenas uma memória Foto instantânea no álbum de família Papai, o que mais você deixou para mim? Papai, o que você deixou para mim? Tudo era apenas um tijolo no muro Todos são somente tijolos na parede "Você! Sim, você atrás das bicicletas, parada aí, garota!" Quando crescemos e fomos à escola Havia certos professores que Machucariam as crianças da forma que eles pudessem (oof!) Despejando escárnio Sobre tudo o que fazíamos E os expondo todas as nossas fraquezas Mesmo que escondidas pelas crianças Mas na cidade era bem sabido Que quando eles chegavam em casa Suas esposas, gordas psicopatas, batiam neles quase até a morte pt.2 Não precisamos de nenhuma educação Não precisamos de controle mental Chega de humor negro na sala de aula Professores, deixem as crianças em paz Ei! Professores! Deixem essas crianças em paz! Tudo era apenas um tijolo no muro Todos são somente tijolos na parede Não precisamos de nenhuma educação Não precisamos de controle mental Chega de humor negro na sala de aula Professores, deixem as crianças em paz Ei! Professores! Deixem essas crianças em paz! Tudo era apenas um tijolo no muro Todos são somente tijolos na parede "Errado, faça de novo!" (2x) "Se você não comer sua carne, você não ganha pudim. Como você pode ganhar pudim se não comer sua carne?" "Você! Sim, você atrás das bicicletas, parada aí, garota!" pt.3 Eu não preciso de braços ao meu redor E eu não preciso de drogas para me acalmar Eu vi os escritos no muro Não pense que preciso de algo, absolutamente Não! Não pense que eu preciso de alguma coisa afinal Tudo era apenas um tijolo no muro Todos são somente tijolos na parede

2 comentários:

  1. Olá Flávio
    Sem dúvida é um dos melhores filmes que já vi. Inesquecível.
    Grande abraço

    ResponderExcluir